05 fevereiro, 2009

O Massacre da Serra Elétrica

Escrito dia 27/01/09

O sonho se passava na casa de minha mãe. Eu havia organizado uma festa e como toda festa mal organizada, pessoas desconhecidas entraram. Achei que eram da rua e não me importei, pareciam querer apenas um pouco de música.
No decorrer da festa um deles se infiltrou dentro de casa e claro, fui atrás dele e meu namorado atrás de mim. Na sala de estar ele estava, de costas, perguntei o que ele fazia ali se a festa era no quintal, virou-se armado com uma serra elétrica e disse que estava planejando uma brincadeira, se eu queria participar. Na hora me veio na cabeça em aceitar e não dizer nada que eu era a filha da dona da casa. Era um meio de ficar de olho nele, porque se eu dissesse não ele podia me matar ali mesmo, o barulho da festa não deixaria ninguém ouvir.
Portanto, dando uma risada estranha eu disse: "Legal, oq faremos e contra quem?", obtive uma resposta nada boa: "Contra todos dessa festa, principalmente os donos da casa, só vou chamar meus amigos e já volto, me espere aqui!".
Eu olhei de 'rabo de olho' para o telefone e disse: "Tudo bem, espero vc!". Ele deve ter desconfiado pq foi até o telefone e cortou a linha. Deu uma risada e foi para o quintal. Fiquei pensando no que fazer e quando ele chegou ao fim do corredor eu disse que iria com ele.
Paramos a música, ele pediu para todos irem para a garagem que teria uma brincadeira e todos deveriam participar. Ligou a serra e todos os convidados foram, inclusive minha família. Ele pediu para todos se sentarem e seus amigos estavam sentados e estratégia. Após todos se sentarem ele disse que a brincadeira seria divertida para alguns de nós, não para todos. Nesse momento os amigos dele levantaram-se formando quase um círculo envolta dos convidados, estavam armados com revólveres e dois deles com serras.
Minha mãe virou para mim com um olhar de decepção, não era pra menos. Eu tentei fazer algum gesto mais ela não entenderia e colocaria em risco a vida de todos.
Eu, ele e mais um amigo fomos para dentro de casa. O plano era roubar a casa e matar os que se meterem no caminho, depois de levar os pertences ele mataria toda a família. (Razão? Não sei!).
Nisso uma criancinha loira, de olhos claros, sái do meu quarto com cara de choro e chupeta na boca. Ele queria matá-la, mas o convenci que tratava-se de uma criança que nem falava direito. Peguei ela no colo mas ela não parava de chorar, isso foi irritando ele até que ele voltou para a garagem.
O parceiro dele ficou me olhando feio, mandei ele ir atrás do amigo dele porque a presença dele estava assustando a menina e ela não pararia de chorar. Ele foi.
Corri para meu quarto para encontrar meu celular.. mas depois de olhar em alguns lugares lembrei que ele estava na bolsa da minha mãe.
Nesse momento eu fui até o 'chefe' (digamos assim) e disse que ele deveria recolher o celular de todos os convidados. Com isso consegui a confiança dele, deixei a criança (que neste momento estava mais calma) deitada no sofá e fui acompanhá-lo no recolhimento dos aparelhos celulares.
Obviamente fui beirando as pessoas próximas à minha mãe, quando ela colocou tudo a perder: "Eu não acredito filha, que vc está no meio disso". O chefe me olhou querendo me engolir, eu fiz uma cena básica: "Ah mamãe, não vem com essa.. vc não me deixa ser feliz, não me deixa fazer nada, eu nunca posso sair de casa, fica quietinha aí antes que eu perca minha paciência e passa logo a porra do celular. Não tem ninguém brincando aqui". Minha mãe: "É só por isso? É isso mesmo que vc acha? Que eu te aprisiono em casa?". Eu: "Não acho, TENHO CERTEZA. Conta nos dedos quantas vezes eu saí sem sua companhia, e mesmo assim sempre estava acompanhada por alguém de sua confiança. Afinal, EM MIM VC NÃO CONFIA, mais confia no primeiro vagabundo que aparece na rua. NÃO FODE!".
Eu saí porque eu já estava quase entregando os pontos, disse para o chefe que levaria os celulares que recolhi p/ dentro para ir desligando um por um. Para não dar na cara chamei um dos parceiros para me ajudar (claro, chamei o com cara de ser mais burro). O chefe gostou da idéia e disse para o fulano me acompanhar.
Chegando na sala, a guria chorava muito, peguei ela no colo e disse para o cara que iria na cozinha dar leite pra ela calar a boca, ele concordou e não percebeu quando eu peguei o meu celular (que estava na bolsa da minha mãe).
Fui até a cozinha, preparei um leitinho para a criança, quando ia pegar o celular o chefe chegou com outro amigo. Me olhou indiferente, iria me perguntar oq estava fazendo mas desistiu qnd me viu com uma mamadeira nas mãos. Caminhou até a sala, chamou os outros para irem até a garagem com ele porque ele iria eliminar um. Quando saíram eu liguei para a polícia, dei o endereço, expliquei a situação, quantas armas e bandidos haviam no local, quantos reféns, enfim.. dei detalhes quando ouvi um disparo. Eles voltaram para dentro, eu estava nervosa mais não podia demonstrar, eles voltaram rindo e falando "Que babaca!".
Fiquei muito tempo em pé tentando acalmar a criança e nada. Um dos caras com a serra elétrica estava na sala comigo. Meu namorado apareceu no corredor dizendo que devíamos sair dali, quando ouvi sua voz me virei depressa para avisar que não estava sozinha, mas só deu tempo de gritar CUIDADO. Tarde demais, o compaça passou com a serra elétrica em sua cabeça. Deixei a criança no sofá e corri para socorrê-lo, mas não tinha mais jeito. Em pouco tempo a sala virou uma piscina de sangue, eu estava totalmente desesperada, atormentada, era evidente. O chefe elogiou o serviço, eu queria matá-lo mais pensava no restante da família, perder a linha só iria piorar as coisas.
Peguei a criança e fui para o portão, caminhei um pouco na rua com a presença de um dos caras, ele não tirava os olhos de mim. O chefe foi até o portão e perguntou o que eu e ele estávamos fazendo na rua, brigou conosco porque estávamos chamando a atenção, mas depois se conteve porque eu estava com a criança no colo mostrando algumas flores, ela estava calma e sorridente. Ele não queria ouví-la chorando denovo e permitiu que ficassemos ali, afinal, todos os moradores estavam naquela garagem, a rua estava totalmente deserta.
De repente ouvi um carro vindo em alta velocidade, parou próximo à casa. Era um carro velho, acho que um Chevette. Havia um casal dentro. Caminhei até eles e perguntei oq faziam ali, disseram que iriam ajudar.
Alguns instantes depois ouvi sirenes e logo aparecerão 5 carros da polícia. Entrei em pânico porque o cara que estava me vigiando no portão correu para dentro, eles matariam todos. Deixei a criança no carro do casal e corri em direção ao portão, qnd percebi que o carro estava morrendo e o casal desesperado para arrancar com o carro para raptar a criança. A criança chorava muito, então corri em direção ao carro, entrei pela janela, soquei a mulher e o cara arrancou com o carro, consegui chutar o rosto dele e sair do carro com a criança. Corri até um dos policiais, disse q eu havia ligado, tentei alertar que eles matariam todos mas me pediram calma. Como eu iria me acalmar com loucos de serra elétrica ameaçando minha família? Como?
Eu estava uma pilha com aqueles policiais lerdos, mas graças a Deus depois de muita negociação eles se entregaram. Corri até minha família (ainda com a criança no colo), abracei todos, expliquei oq eu tinha feito, acharam q foi burrice mas tudo bem.. rsrs..
Infelizmente uma pessoa morreu e era meu namorado, o homem q eu amo. Morreu querendo me proteger, não esperaria menos dele.
Depois disso acordei assustada e não consegui mais dormir.

--

Tentando associar esse sonho com a vida real, essa morte pode estar associada a morte recente da família, a irmã do meu avô estava lutando a muito tempo contra um aneurisma pulmonar e veio a falecer no CTI ante-ontem, o enterro foi ontem.
Será que foi por causa dessa morte que sonhei com uma morte? Será?
Interpretar sonhos não é nada fácil, cruzes! Espero que nada disso aconteça. Eu vivo tendo sonhos com morte.

5 comentários:

  1. Oi amooor,
    Beeeeemmm sinistrooo esse sonh né....

    Hahuahuahu...

    Ainda bem que é só sonho, se não eu ja era...

    Tornou o outro blog privado?

    Te amoo!!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. aii que medoo!
    isso não é sonho, é pesadeloo oO
    haha

    beeijo

    ResponderExcluir
  3. nossaaa.. q macabro!! tive um sonho parecido uma vez..

    ResponderExcluir
  4. Não entendo nada de sonhos, mas acho super curioso o que significa, as vezes tem nada haver com o sonho em si, né?

    ResponderExcluir
  5. o0

    Eita.. que sonho diferente esse seu.. Adoro esse tipo de leitura.! xD Ficaria horas lendo um livro nesse naipe.! ^^

    Mas o assunto não é esse. rsrs'

    Bom, acho que nossos sonho são totalmente ligados a nossa vida real.. não posso te dar certeza da ligação da morte de sua parente com a morte do seu namo no sonho.! ^^'

    Escreveu e passou as sensações do sonho muito bem.! Meus parabéns! *_*

    Bejo.!

    ResponderExcluir

Oieeee...
Neste blogspot o livre arbítrio está ativado, ok!?

Obrigada por seu comentário!
Irei retribuir o mais breve possível.